(Foto: André L. Soares)

.

.

.

SINUOSA

(André L. Soares)

.

O teu gozo é um misto

de felicidade e dor,

como o sorriso

de uma escrava debochada,

acostumada ao chicote.

.

Paixão é o som do encanto

desse guiso

de serpente sinuosa,

que de repente

me enlaça e muda todo

o meu destino.

.

E eu que sonhei um dia

correr caminhos vagabundos

– cão-danado, atrevido paladino –,

quero agora ser somente

outra vítima (voluntária)

de teu bote.

.

.

.

.

Leia também:

Gritos Verticais /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

Anúncios