(…)

.
.
.

SONETO EM DOR MAIOR
(Patrícia Neme)
.
O amor que eu me desejo, tem cheiro de alvorada,
tem cor de lua cheia, nas brisas de jasmim…
Amor que me incendeia nos sons da madrugada
e tece com estrelas, os sonhos que há em mim.
.
O amor que eu tanto espero, tem boca apaixonada,
seu coração galopa por meu começo e fim;
me entrega seus silêncios, su’alma desnudada…
É beija-flor imerso, na flor do meu jardim!
.
O amor dos meus cantares, de rimas passionais,
é puro qual o orvalho, tão vasto quanto o mar,
não anda por atalhos, seu rumo é só me amar.
.
Que venha em vôo breve, dos céus dos imortais,
e então a vida eu sinta, com todo o seu ardor…
E olvide a Dor Maior, que jurei, fosse o amor!
.
.
.

.

Leia também:
Gritos Verticais /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

Anúncios