(Foto: André L. Soares)

.
.
.
ALÉM DO AMOR
(André L. Soares)
.
Maravilhoso seria possuí-la,
mostrar-me todo e real a ela,
abrir à volúpia uma janela,
o portão, a porta, a casa inteira,
até que se fizesse verdadeira,
alojando-se confortável ao coração.
.
E por ser assim profunda, então…
toda palavra se tornando obsoleta,
a felicidade fazendo-se completa,
mergulhados os corpos no silêncio,
faríamos amor, como hoje penso:
a paixão elevada, além da poesia.
.
A prática conduzir-nos-ia ao cansaço
e este, ao mais perfeito deleite:
vê-la dormir – tal anjo – ao abandono,
instante em que… atrevido,
eu pararia o universo,
só pra evitar que alguma luz distante
pudesse – talvez – incomodar seu sono.
.
.
.

.
Leia também:
Gritos Verticais /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

Anúncios