(Foto: André L. Soares)

.
.
.

IMPRESCINDÍVEL

(André L. Soares)

.

O dia nasceu maravilhoso…

tudo com jeito de novo,

voltando às boas, de repente.

No céu azul há um sol quente,

sorrindo raios de luz

para inspirar o meu desejo.

Eis que vislumbro sua imagem

cada vez mais próxima,

quase que posso tocá-la…

isso aquece e traz calma

ao meu espírito indócil.

.

Por entre carros e pessoas

caminho como quem sai da prisão

e olha o mundo, anos depois.

Parece que passou a eternidade

entre o momento de hoje

e a última vez que fui feliz.

Por isso inalo cada cheiro de folha,

todos os sopros de vida…

– pode haver ali, um pouco de você –

Não tenho fome, mas me alimento

do meu amor imensurável.

.

Procuro novas palavras

talvez, em outras dimensões

para explicar o que sinto

e como vivo essa paixão…

escuto frases,… arisco

e me arrisco numa canção

para falar do meu amor,

de modo repetitivo…

.

…até você compreender

que me é imprescindível…

…até você compreender

que me é imprescindível…

…até você compreender

que me é imprescindível!

.

.

.

.

Leia também:

Gritos Verticais / O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

Anúncios