(Foto: André L. Soares)

.
.
.


JUNTOS
(André L. Soares)
.
Em cada casa, distanciados,
somos, contudo, ainda dois fortes;
porém, com menor capacidade.
.
Mas se unidos os braços e as vozes,
ecoamo-nos melhor pela cidade,
reduzindo as portas e os vãos,
um ao outro ofertando seus suportes
em trabalho erquido lado a lado
– mosqueteiros contra seus algozes -.
.
Mas, para tornarmo-nos assim, ferozes
– não pense duas vezes -,
basta que coloque suas mãos nuas
sobre as minahs duas mãos.
.
.
.

.
Leia também:
Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

Anúncios