(Blues Man – Justin Bua)
.
.
.
O POETA QUE CHORAVA SONETOS…
(Lílian Maial)
.
Para ninar poeta toque um sino,
que o som desse silêncio não faz rima,
se a música dos sonhos não anima,
melhor trocar as cordas do violino.
.
Poeta não tem sono e nem destino,
qual lua, que desdenha lá de cima,
de estrelas aparadas com u’a lima
nas pontas, pelas mãos desse menino!
.
Se o meu poeta sofre a noite em claro,
e esquece o meu amor – presente caro –
que as trevas acompanhem seu porvir!
.
Mas se a saudade bate à tua porta,
nos sonhos tua musa te conforta,
enxuga o teu soneto e vai dormir!
.
.
.
.
.
.
.
Para ler mais poemas dessa autora, acesse:
Sonetos de Lilian Maial
.
Anúncios