(Foto: André L. Soares)

.
.

AOS TRANCOS E BARRANCOS
(Eloah Borda)
.
Meu coração é um louco, inconseqüente,
não tem noção de tempo nem de idade,
– se apaixona com tal intensidade,
como se fora ainda adolescente!
.
Minha razão, coitada, certamente,
de tudo faz pra impor sua vontade.
Que vão intento – controlar quem há de,
as emoções de um coração ardente?!
.
Se a razão diz: – Já tens cabelos brancos!
Já o coração me grita, a cada pulso:
– A natureza para amar me fez!
.
E assim eu vou, aos trancos e barrancos,
a debater-me entre o bom senso insulso,
e a deliciosa e louca insensatez…
.
.
.
.
.
.
.
Para ler mais poemas de Eloah Borda, visite:
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=5534844

Anúncios