(Sweet Serenity Joyce Birkenstock)

.
.
.

ANJO
(André L. Soares)
.
Um belo dia
a poesia cruzou meu caminho:
era uma índia tupi,…
poema vivo, fugido dos romances
de José de Alencar.

.

Ela era o mar:
oceano de paixões incontroláveis,
tsunami de sonhos e incríveis emoções,
devastando docemente
o meu coração cansado

.

N’outro dia,
era a amizade banhada de ternura,…
juventude brincando em minha vida
e vinha nua, despida de hipocrisia,
com cabelos negros
e a rebeldia só possível aos dezessete.

.

Nada lhe escapa:
percebe, no detalhe,
defeitos e belezas do mundo que a cerca;
segue firme, soprando notas perfeitas,
operando cirurgias milagrosas
em cada alma que abraça.

.

Mesmo se triste,
sua alegria nunca é pouca,
nem é menor a força das palavras
que deixa escorrer pelo papel,
como se fosse areia mágica
em um belo conto de fadas.

.

(…)
.
Ela é tão linda…
e mora tão dentro de mim,
que sequer posso tocá-la.
.
.
.

Anúncios