(Family Ties – R. L. Cairns)

.
.
.
GREVE DE FOME
(Edson Amaro)
.
Ri o Rio riso raro! Faz pirraça
Garotinho! Político com fome?
Fazem dez mil piadas com seu nome
e à porta do edifício arruaça.

De lágrimas Rosinha uma cabaça
enche pra nos mostrar que se consome,
vendo murchar não só dele o abdome
como a reputação magra na praça.

Ensinou-nos um bispo venerando
quando impediu de um rio a remoção:
fazer greve de fome é pra quem pode.

Mas vendo um fariseu se lamentando
por ele crocodilos chorarão.
Tanta tristeza nos vale um pagode!
.
.
.

Anúncios