(En Afrique – Jaques Beaumont)

.
.
.

ONDE NÃO HÁ NATAL
(André L. Soares)
.
Há, no ar… a nota triste
da viola caipira que lamenta,
chorando, tal chuva de primavera,
como se ser feliz fosse loucura.

.

Há, no céu… o traço fosco,

riscando o azul com cor cinzenta,
resquício da antiga maravilha
da estrela que há muito se apagara.

.

Há, no chão… só a esperança

da rosa novamente orvalhada,
fazendo rir a criança que agoniza
no retorno da pureza que se fora.
.
.
.
Anúncios