(Home and the Homeless – Thomas Faed)
.
.
.
OS OLHOS DO MENDIGO
(André L. Soares)
.
Os olhos do mendigo me impressionaram,
como se me cobrassem melhor atitude,
como se questionassem minha virtude
e duvidassem de mim.

.

E os olhos do mendigo me amedrontaram,

como fossem cobras saídas de mim mesmo
e eu me senti um monstro de puro egoísmo
e tive vergonha de me ver assim.

.

Mas os olhos do mendigo me condenaram,

como se fossem aqueles os olhos de deus,
como se todos os pecados do mundo
fossem somente meus.

.

Então os olhos do mendigo me fitaram seriamente,

como se indagassem os olhos de um covarde;…
imediatamente compreendi sua mensagem
é que talvez eu não faça a minha parte.
.
.
.
Anúncios