(Shades of Poppies – Steve Thoms)
.
.
.
VENHO DE LONGE
(André L. Soares)
.
Eu venho de longe, pra rever os amigos,
senta aqui comigo, vem me dar um abraço,
fale das novidades,… como estão os seus filhos?
como está de amores? como vai seu trabalho:

.

Eu venho de longe, pra rever os parentes,

acenda logo a fogueira, traga o violão,
quero ver os sorrisos e os rostos contentes,
cantando a noite inteira, até raiar a manhã!

.

Eu venho de longe, pra rever as mulheres,

minha mãe, minhas tias, as vizinhas e as primas,
me aqueçam com beijos, com carinhos e olhares,
adocem meus sonhos, minhas dores, minha sina!

.

Eu venho de longe, pra provar a comida,

a mesa está farta, me sirvam um café,
há tempos não vejo tanta gente querida,
festança em família, já nem sei como é!

.

Eu venho de longe, pra matar a saudade

dos costumes humildes, do papo informal,
as histórias da infância, sempre sem maldade,
repassar aos mais jovens, isso é sem igual!

.

Eu venho de longe, porém já estou partindo,

o sol vem despontando e a vida me chama,
não esquecerei esta noite, foi tudo tão lindo,
pureza e alegria, com vocês que me amam!

.

Eu volto pra longe, mas levo no meu peito,

a hospitalidade, a amizade e o calor,
não sei quando apareço, mas digo sem jeito,…
quando não agüentar, venho buscar mais amor!
.
.
.
Anúncios