(Paola – Antonio Sgarbossa)

SÉTIMAS DA DESILUSÃO
(Paulo)
.
Magoaste o meu coração,
pois teu desprezo e frieza,
com inclemente certeza,
tirou, de armar-te, a ilusão.

Saberes deténs do amor!
Mas qual criança inocente,
corri ao teu seio ausente,
e não me deste calor.

Mostrou-me a vida a verdade,
de uma triste realidade,
que conhece quem sentiu:

a dor de ser rejeitado,
por aquele ser amado,
que da sua vida partiu.
.
.
.

Anúncios