(Frauenkorper – Daniel Gasser)
.
.
.
ANTES DO CÉU
(André L. Soares)
.
Naquele abraço noturno,
enquanto se esperava o táxi,
vivi a explosão de ternura
sem haver necessidade de palavras,
onde parecia ter-se dito tudo
pelo idioma mudo dos amantes.

Naquele abraço infinito,
provei a máxima felicidade
do amor, prisioneiro dos instantes,
a tingir a imagem que guardo comigo
– imune ao perigo e ao sangue –,
acima dos tons gris do cedo e do tarde.

Naquele abraço – enlace perfeito –,
fizeste morada eterna em meus olhos,
enquanto se esperava a saudade.
.
.
.
Anúncios