.
.
.

CONVITE
(Melk)
.
Moça, me espere no final do dia,
quero mostrar-lhe um novo entardecer.
Onde o silêncio desta noite fria
traz a certeza deste meu querer.

Ponha suas mãos em minhas mãos vazias,
sinta o calor que me faz reviver.
Deixa florir as minhas fantasias
nesta poesia de amor e prazer.

Venha comigo ao menos uma vez.
Esqueça o canto, se você quiser,
mas não censure minha insensatez.

Entregue-me seu corpo de mulher.
Venha sonhar. Descobrirás talvez
que o importante é ter o que se quer!
.
.

.

Anúncios